Desabafo

Andei twitando de mais e blogando de menos nos últimos tempos. Bem, ok… tudo se deve a minha nova rotina de estudos, da minha falta de novidades, minha vida sem grandes acontecimentos, uma certa alienação e também problemas de relacionamento que há muito tempo já me deixaram sem sono.

Bom, e taí! O que mais posso dizer com profundidade depois dos últimos acontecimentos? Que ando bem triste com tudo o que me ocorreu? Talvez, mas para quem me conhece isso soará repetitivo e cansativo. Porém, o que mais vai acontecer na vida de qualquer indivíduo é o sofrimento perante à decepções reais e irreais.

Sim, por que acredito que certas coisas acontecem única e exclusivamente dentro de nossas cabeças que, num momento de inércia, cria situações horríveis e mentirosas, fazendo com que acreditemos nessas fantasias montadas como pura carência e falta de assunto, por que não dizer?

O que eu estou querendo começar a dizer é o quanto é complexo ser amigo de alguém hoje em dia sem sofrer ataques morais, sentimentais, racionais… E pensar que esses ataques, essas situações, simplesmente a criamos num mero cismar.

Se você se depara com um problema causado por um amigo que você ama e nunca cogitou a ideia de perdê-lo, com certeza você terá o esforço de convidá-lo para uma conversa, por mais doloroso que te seja fazê-lo, e assim, botar os pingos nos is. Eu como amiga das pessoas que amo, faria isso. Eu como amiga das pessoas que amo, já fiz isso.

Já errei com meus amigos e fui capaz de me desculpar. Já erraram comigo e eu fui capaz de entender e enfim, perdoar.

Agora, se você se depara com um problema causado por um amigo “mais ou menos”, nem te incomoda, nem te atrapalha, nem te ocupa o pensamento a respeito dos porquês, dos poréns, dos motivos, das causas… Realmente, você não quer entender e se põe no lugar da vítima com total poder da razão e sai espalhando por aí o quanto você está indignado com tamanha falsidade e nem se dá ao luxo de questinar, por que em primeiro lugar, você e o seu papel de vítima são muito mais importantes que a defesa de qualquer um.

Esse texto está muito subjetivo e chato pra caralho de ler? Está, mas estou precisando dizer o que penso. Ando incomodada, ando sentida, ando muito insatisfeita. Mas eu sou assim, se me tratam como “mais ou menos”, eu sou obrigada a retribuir um sentimento que não me pertence por medo de ouvir mais injúrias impertinentes.

Não me isento de culpa alguma. Tenho muitas, mas não todas! E, ah! Se se pensassem em tudo com toda clareza e parassem de fazer cena um perante aos outros! Quanto amor ainda iria existir nesse mundo, não é mesmo?

Um amigo meu outro dia usava no subtítulo do msn a frase: “Esteja sempre disposto a ajudar, mas lembre-se de que será apunhalado por isso!”.
Testado e aprovado por mim. Podem ver! Se aos que erram não fossem concedidas novas chances, teríamos boa parcela de mortos-vivos perambulando por aí. Pois existe uma facilidade enorme de atropelá-los e enterrá-los vivos em nossas vidas.

Bah, deixa pra lá. É que eu fico muito impressionada com esse tipo de coisa. Fico muito chocada. Meu defeito é esperar dos outros atitudes que eu tomaria com todo zêlo do mundo.

Com certeza pior que um inimigo, só mesmo um mau amigo em nossas vidas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: