Análise do amor no mês da independência

Um relacionamento não pode ser algo, assim, lá muito complexo. Também não pode ser difícil, tampouco desgastante. Tudo isso é mentira, intriga da oposição, encheção de saco dos desalmados e dos mal amados. Relacionamento, quando há amor, paixão, amizade e respeito é a coisa mais fácil e prazerosa do mundo.

Mas, quando você se pega avaliando situações, imaginando os problemas vindouros, pondo os defeitos a frente de tudo e de qualquer coisa, ah… meus amigos, temos um relacionamento complexo! E aí, dizem que não somos fortes o suficiente, que pulamos fora, que desistimos sem tentar, que somos incapazes de passar por fases ruins.

Fase? As fases ruins são enfrentadas com tranquilidade quando há PAIXÃO e respeito (novamente, o respeito). Você admira a capacidade do outro, ou a sua própria, de passar por cima dos turbilhões do dia a dia e dão-se as mãos para seguirem em frente confiantes. Mas o outro não tem força, capacidade, agilidade para tal? NÃO HÁ ADMIRAÇÃO? Então, não existe mais paixão.

Daí não se trata apenas de uma fase difícil, mas de uma descrença. E por termos (se Deus permitir) respeito um pelo o outro ainda, vamos nos despedir e pensar que a vida nos deixe resolver nossos problemas de cada dia com maior maturidade.

Eu pensei que fosse definhar. Justo eu que não sei viver sozinha? Justo eu que só penso em poesia e em coisas lindas pra dizer ao outro? Justo eu que sonhei em me casar? Justo eu que só viveria pra ele?

Aaaaahhh, quanto engano a respeito de si próprio, não é verdade?

image

Quanta coisa eu defenestrei e me senti mais leve por não me cobrar mais desta forma! É bom se ver mulher e entender que a vida é tão mais intensa quando você se entrega de maneira independente e visionária.

Este mês faço aniversário de um ano de solteira, quando um ano atrás cheguei a entrar na igreja pra reservar a data do meu casamento, quando fui à feira das noivas para ver vestidos e iniciei uma coleção discreta de revistas sobre o assunto e discutia-se até a mobília da nossa futura casa.

Um relacionamento nunca será um problema, será sempre a solução enquanto houver amor, paixão, amizade e respeito. Uma pilastra cai, nem tente continuar. Ele se tornará complexo e você entrará nas mil fases ruins e acreditará que está lutando por algo, mas na realidade está se arrastando ao lado de outra pessoa que não sabe ser independente. Um casal, mesmo que juntos, são duas pessoas independentes e bem resolvidadas a respeito de si mesmas. Quando uma não é, não dá certo, não dá certo, não dá certo…

Meu mundo não pode cair se você não está comigo. Eu não posso querer morrer se você não está ao meu lado. Você não pode ser a única coisa que eu tenho na vida. Eu não tenho o direito de chorar no seu portão se você me ignora. A pilastra caiu e eu sou independente. Nasci sozinha e me criei, me fiz como sou para poder encontrar quem me complete, e nunca, NUNCA, quem me abandone, me desreipeite ou me disperdice.

O amor é simples!

As pessoas que são dependentes de mais.

 

E, bom, não sei se esse texto ficou intimista (sem sentido, talvez) de mais, mas eu tenho esta opnião aí.

É só pra celebrar um ano na pista… HAHAHAHAHAHA

Anúncios

Uma resposta to “Análise do amor no mês da independência”

  1. But that didn’t mean that every outfit complimented every woman.
    Scripture calls uus to live and dress modestly, not to gratify the flesh.
    The pregnant women can be exception buut the moment they desliver the child they have the judgment to
    be back at their old figure and stay fit and beautiful.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: