Arquivo para fevereiro, 2012

Carnaval à toa

Posted in Uncategorized on 22/02/2012 by Gabriela

 

 

Ninguém mais faz carnaval à toa!

na minha avenida não passa mais alegoria
da tua escola de samba.
Pq ela não me alegra, só magoa.
Ninguém mais dá carnaval à toa!
porque na minha avenida,
sou só eu quem sambo numa boa.

Vai com a tua bateria
batucar lá pros outros lados
em outras esquinas gasta tua energia
no coração de outras tontas.

vai fazer dançar todas aquelas meninas,
mas pra minha avenida,
não há mais quem te convida!
Some daqui com teu samba,
vai fazendo a batida da partida em corda bamba

No meu carnaval você não tem comissão de frente
vai partindo, vai dando adeus,
não tem mais quem te aguente
aqui o teu samba é de despedida.
Vai com Deus, aqui eu fecho a minha ferida.

Ninguém mais faz carnaval à toa!
na minha avenida não passa mais alegoria
da tua escola de samba.
Pq ela não me alegra, só magoa.
Ninguém mais dá carnaval à toa!
por que na minha avenida,
sou só eu quem sambo numa boa.

Corpo estranho

Posted in Uncategorized on 08/02/2012 by Gabriela

Eu sou aquela pessoa que quando não sabe definir seu estado de espírito perturba-se de tal forma que transforma a vida de todos em volta num inferno. Mas é só enquanto não me acostumo com a incostância das dúvidas, por que funciono da maneira como o organismo reage contra um corpo estranho invadindo seu sistema interno. Preciso expeli-lo rapidamente, mas caso não consiga lutar contra tal, passo a incubar o negócio até que ele faça parte de mim. Então, é como se meu humor adoecesse e eu passasse os dias tentando me curar de uma dor. Eu fiquei assim estes dias. Daí, qualquer mísera situação ridícula em volta de mim toma proporções como a destruição de um Katrina e eu quero matar a todos por enforcamento. Juro. Hoje eu já estou melhor, mas é porque já entendi a causa de tudo e estou naquela fase em que não sei se tenho anticorpos o suficiênte para expelir ou se o meu organismo vai absorver o corpo estranho. Estou refletindo. Existem doenças que podem ser fatais… para o bem ou para o mal. Vírus cruéis, capazes de derrubar um corpo robusto e saudável. Tanta coisa que pode transformar uma pessoa num vegetal!